Atlético-MG proíbe jogador de atuar pelo Flamengo, em uma possível transferência, entenda

Antes de mais nada, a saída de zagueiro Junior Alonso, capitão nas conquistas do Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Campeonato Mineiro, ainda repercute no Atlético-MG. Isso porque, a diretoria atleticana fez uma exigência inusitada para os padrões do futebol brasileiro.

O Torcedores.com apurou que para não ser comprado tão facilmente nos próximos anos por rivais, até pelo menos 2023, o Atlético-MG resolveu colocar, além de tudo, uma cláusula no acordo com o Krasnodar denominada ‘anti-rivais’.

Para adquiri-lo, o interessado terá de pagar 1 milhão de euros (R$ 6,4 milhões, pela cotação atual) ao Galo. Vale lembrar que o valor não contempla uma eventual compra dos direitos econômicos de Junior Alonso junto ao clube russo. Ainda segundo apurou a reportagem, três clubes brasileiros estão na lista de “negativados” pela diretoria atleticana: Corinthians, Flamengo e Palmeiras. O argumento é que, além da visibilidade, as equipes têm grande poderio de investimento e persuasão no mercado da bola.

Até o Cruzeiro, arqui-rival do Atlético-MG, terá dificuldade para contratar Junior Alonso. Apesar de ter prometido que jamais vestiria a camisa celeste, a diretoria decidiu formalizar essa condição no ‘preto e no branco’ como se diz na gíria do futebol.

Apesar disso, Junior Alonso não se mostrou incomodado com a inclusão da cláusula ‘anti-rivais’ no seu contrato com o Krasnodar. Afinal, o paraguaio faz planos de voltar a vestir a camisa alvinegra após o fim do seu vínculo com o clube russo.