Com proposta para ir embora, Léo Pereira define seu futuro; E empresário explica motivo

O torcedor flamenguista já estava se acostumando a ver só jogadores saindo ao longo desta janela de transferências. Contudo, na noite de ontem (27), o clube da Gávea anunciou o seu primeiro reforço na ‘Era Paulo Sousa’: o atacante Marinho, ex-Santos. As saídas, entretanto, já somam 11 jogadores, incluindo aqueles  mais utilizados (como Kenedy e Michael) e aqueles menos utilizados (Bill e João Lucas, por exemplo).

Outro jogador que esteve próximo de deixar o Mengão foi o zagueiro Léo Pereira, contratado junto ao Athletico-PR em 2020, mas que nunca atingiu a alta expectativa que se esperava, se tornando apenas mais uma opção para a zaga. Em entrevista concedida ao ‘GE’, o empresário do atleta, Ricardo Scheidt, declarou que o atleta ganharia três vezes mais em solo mexicano.

“Da nossa parte, teve o acerto financeiro, era muito boa a proposta. Era para ele ganhar três vezes mais do que no Flamengo. Tínhamos como ideia que era bom sair, mas entendo o lado do Flamengo, que investiu no Léo. E o momento, né. O Flamengo está com quatro zagueiro, e o Rodrigo Caio voltando. Estão sem peças na posição. Tentei ajustar, melhorar a oferta”.

Situação atual da defesa do Flamengo

Como também já é de conhecimento geral, Rodrigo Caio vem atravessando alguns problemas de saúde e não é aquele jogador que se pode contar 100%. Além disso, David Luiz é outro jogador bastante experiente e que ficou de fora em inúmeros momentos da temporada. Ou seja, tirando a dupla de zaga titular, Léo Pereira e Gustavo Henrique são as primeiras opções.

No entanto, são dois jogadores que a torcida costuma pegar muito no pé, o que acabou minando a confiança deles em diversas ocasiões. Vale lembrar que o Flamengo também negociou o zagueiro Natan em definitivo com o Red Bull Bragantino, ficando só com Gabriel Noga como “zagueiro pronto para o profissional”. Ou seja, por mais que a torcida pegue no pé, a saída de Léo Pereira obrigaria o Fla a agir rápido no mercado, algo que não vem sendo rotineiro para Braz e CIA.