Conmebol divulga áudio do VAR no gol de Arrascaeta sobre o Corinthians

A Conmebol divulgou o áudio do VAR do polêmico lance do gol do Flamengo sobre o Corinthians na última terça-feira. Aos 36 minutos do primeiro tempo, Cantillo tentou sair jogando, a bola desviou em Arrascaeta, bateu no braço de João Gomes e voltou para o uruguaio, que marcou um belo gol para inaugurar a partida. No campo, o árbitro Patrício Loustau assinalou o gol, enquanto Germán Delfino, responsável pelo VAR, confirmou o gol do mengão.

No áudio, é possível ouvir a equipe afirmando que o braço de João Gomes estava em posição natural e que não havia “iminência” de gol, pois Arrascaeta foi o responsável por balançar as redes. Com a determinação que está valendo no futebol mundial desde junho de 2021, se o toque acidental na mão de um atleta gerar uma assistência para outro atacante que venha a fazer o gol, o lance será legal.

Anteriormente a essa mudança, a regra dizia que o toque de mão involuntário no ataque deveria ser assinalado como falta caso levasse diretamente a um gol ou a uma “ocasião manifesta de gol”. “Aos 37 minutos, logo que um jogador rubro-negro jogar a bola, esta toca de forma acidental o braço de um companheiro seu, o qual se encontra na posição natural, não constituindo uma mão sancionável”, explicam no vídeo.

“Segundo a regra do jogo, só cometeria a infração todo jogador que marque um gol na meta adversária diretamente com a mão ou o braço, incluindo se a ação acontecer de forma acidental. Ou imediatamente depois que a bola toque em sua mão ou seu braço, incluindo de maneira acidental. Neste caso, o jogador que converte o gol recebe a bola de rebote de uma mão acidental não sancionável por parte do companheiro. Por isso o gol é válido”, completa.

AVAR: Peito VAR: Peito para mim, está habilitado
VAR: Possível impedimento
AVAR: Digo habilitado, tudo limpo, tudo bola. Pega na sua mão. No companheiro
Árbitro: Para mim é gol. (…)
Árbitro: Está em posição natural e vem de um companheiro
VAR: Sim, para mim a mão está em posição natural (…)
Assistente: Pato, eu vejo a mão grudada ao corpo (…)
VAR: Aí, faz um movimento natural do corpo (…)
VAR: É uma posição natural, está em movimento natural do corpo, e não é iminência, porque quem faz o gol é o outro.