Corinthians chega a acordo em valor milionário com o ex-zagueiro William na justiça

O Timão se comprometeu a desembolsar o valor de R$ 1.800.000,00 em 24 parcelas mensais, iguais e sucessivas de R$ 75 mil. A primeira deverá ser paga no dia 7 de outubro de 2021 e a última no dia 7 de outubro de 2023. Em caso de atraso de qualquer mensalidade por parte do time paulista por um prazo superior a três dias, haverá cobrança de multa de 50% sobre a prestação.

Se o Corinthians não efetuar o pagamento de duas parcelas seguidas, todas as outras mensalidades subsequentes terão seus vencimentos antecipados e o acréscimo de uma multa de 50% sobre o valor.

A decisão saiu após diversas tentativas de bloqueios nas contas do clube. Nos últimos meses, pelo menos cinco bloqueios foram feitos, mas com valores irrisórios em comparação ao montante total.

O processo do ex-jogador foi aberto em meados de 2014 e é referente ao Direito de Arena, que é um percentural das cotas de TV que precisam ser repassadas aos atletas. Na época, em entrevista ao portal “Globo Esporte”, William comentou a abertura da ação.

“Nunca quis nada em toda minha vida que não fosse meu de direito. Entendi que no caso do direito de Arena a lei constitucional era clara quanto a 20% enquanto o jurídico do clube entendia que 5%, do acordo feito com um Sindicato, deveria prevalecer. A última coisa que gostaria era ter que recorrer à Justiça para uma definição de qual lado estava correto. Como a divergência permaneceu não me restou outra saída e, após 10 anos aguardando, a Justiça entendeu que eu tenho esse direito baseado na Constituição”, afirmou há sete anos.