Dirigente do Palmeiras fala sobre o risco de saída de Abel do Palmeiras

Em entrevista ao Sportv, nesta terça-feira, o diretor de futebol do Palmeiras, Anderson Barros, comentou a declaração dada pelo técnico Abel Ferreira, no último domingo, quando ele disse estar “à espera de ser demitido” na equipe alviverde.

O dirigente colocou panos quentes na situação e assegurou a continuidade do português no cargo.

Além disso, Barros salientou que não teme perder Abel na janela europeia do meio do ano, mesmo com possíveis propostas chegando ao estafe do luso.

“Acredito muito que a gente termine o processo que começou. Acredito que com o Abel isto vá acontecer, não tenho receio de ele nos deixar no meio da temporada. Temos muitos desafios este ano ainda, três competições muito complicadas”, afirmou Anderson.

“A gente, apesar de todas as dificuldades, pode competir em todas elas e vencer todas. Não pode ser diferente no Palmeiras e acredito que apesar de todas as discussões, todos os nossos problemas e entreveros, vamos ter condições de brigar por estas competições e com o Abel conosco em todo o processo”, acrescentou.

“Ele nunca foi demitido de um clube, nunca foi convidado a interromper um trabalho, em Portugal (no Braga) ou na Grécia (PAOK). Incomoda a ele, às veze,s as decisões intempestivas que o futebol oferece”, complementou.

O dirigente ainda comentou as constantes cobranças por reforços feitos por Abel Ferreira, e fez um mea culpa na situação.

De acordo com o diretor, os pedidos do treinador não puderam ser atendidos pela diretoria porque a alta cúpula do clube no momento prioriza o “equilíbrio financeiro” em meio à crise econômica causada pela pandemia de COVID-19.

“O Palmeiras tem um trabalho extremamente alinhado, o Abel nos pediu recentemente a contratação de determinados atletas para posições específicas e não conseguimos atender. Normal, o Palmeiras entendeu que deveria priorizar o equilíbrio financeiro e não poderia ir além de sua capacidade neste momento, de forma clara entre nós internamente. O Abel percebe o que o Palmeiras pode dar a ele e temos a convicção do que ele nos oferece no dia a dia, pela qualidade do trabalho que desenvolve”, argumentou.

“Nos últimos anos, falamos da necessidade de equilíbrio administrativo e competir. E o Palmeiras está chegando nas finais. Às vezes não conquista por uma série de detalhes, mas chegamos em basicamente todas as competições”, finalizou.