Ex-técnico do Everton da Inglaterra ganha força para assumir o Internacional

O Inter mira novamente um técnico adepto de um futebol ofensivo. Mesmo com o fracasso de Miguel Ángel Ramírez, a direção mantém o plano de promover uma “ruptura” na forma de jogar da equipe. Desta vez, porém, a ideia é contratar um treinador de estilo mais objetivo, similar ao do argentino Eduardo Coudet em 2020. Os principais nomes analisados são o português Marco Silva e o uruguaio Diego Aguirre.

Com Ramírez, o Inter planejava jogar de forma propositiva através da manutenção da posse de bola. Agora, a ideia é ter um time que pressione o adversário e busque o gol de uma forma mais vertical e intensa, alguns dos principais pilares colorados na curta passagem de Coudet pelo Beira-Rio.

O nome de Marco Silva, 43 anos, foi oferecido por empresários e agradou. O treinador está parado desde 2019, quando deixou o Everton-ING e analisa também uma oferta do Fenerbahçe-TUR. O português é visto como um técnico de liderança e personalidade e que monta equipes agressivas, com muita pressão sobre a defesa adversária.

Apesar de jovem, Silva já tem dez anos de experiência como treinador. Em Portugal, comandou o Estoril e no Sporting. O seu trabalho de maior destaque foi na Grécia, quando conquistou o Campeonato Grego 2016/17 pelo Olympiakos, Depois, o técnico dirigiu três equipes da consagrada Premier League na Inglaterra: o Hull City, o Watford e o Everton.

O principal obstáculo para a acerto com o português é o alto custo. Em salários, o clube arcaria com 120 mil euros para toda a comissão técnica, o equivalente a cerca de R$ 750 mil mensais, valores considerados elevados para os combalidos cofres colorados.

Segundo informações publicadas no twitter oficial do Jornalista Alexandre Ernst, as conversas entre Internacional e o treinador Marco Silva devem ser retomadas nesta segunda-feira.