Fabiano de Abreu: “Jorge Jesus está arrependido por deixar o Fla, mas Renato pode fazer torcida esquecer o português”

Quando o treinador Jorge Jesus deixou o Flamengo, certamente grande parte da torcida se entristeceu, como se ali houvesse um sentimento de orfandade. É como se um pai mudasse para longe do filho depois de viverem momentos de grandes alegrias juntos.

Mas o mundo do futebol não é como uma família comum e, por isso, é inevitável que o torcedor passe a nutrir admiração e encanto por um novo comandante; até porque o amor maior é pelo Flamengo. Ainda assim, as comparações com o antecessor são inevitáveis, independente dos resultados alcançados em campo. Se o novo técnico, por exemplo, não consegue o mesmo padrão de resultados, o saudosismo é inevitável.

Quando os resultados parecem ser tão bons quanto aqueles anteriores, o passado vai se tornando algo guardado nas boas lembranças, sem aquele mesmo desejo intenso de querer o antigo comandante da equipe de volta, como é inevitável na situação descrita acima.

Toda vez que se fala do Flamengo para Jorge Jesus, é perceptível como o semblante do Mister muda. Foi também o momento de glória em sua carreira e não só isso, a inflamação da massa rubro-negra faz liberar neurotransmissores, que são os mensageiros químicos do cérebro em alta intensidade, de uma maneira em que fica fixado na memória com marcas de engramas bem mais bem definidas.