Gabigol sede entrevista exclusiva e abre o jogo sobre o causo do cassino

Flagrado pela polícia em evento com aglomeração na madrugada deste domingo, Gabigol deu sua versão sobre o caso. O atacante explicou que foi ao local convidado por amigos para jantar, e que não imaginava ser um evento grande. Ele reconheceu que faltou “sensibilidade” A entrevista exclusiva completa vai ao ar no Fantástico.

– Não tenho costume de ir a cassino, a única coisa que eu jogo é videogame. Estava com meus amigos, fomos comer. Quando estava indo embora, a polícia chegou mandando todo mundo ir para o chão. Faltou sensibilidade da minha parte. Era meu último dia de férias, e estava feliz de estar com meus amigos. Faltou sensibilidade. Mas usei máscara, álcool gel… Quando percebi que tinha um pouquinho mais de gente, estava indo embora.

Gabriel participou de uma festa em um cassino clandestino, na Vila Olímpia, Zona Sul de São Paulo. Havia aglomeração no evento, com cerca de 300 pessoas, e o local foi fechado pela Polícia Civil. O atacante foi conduzido a uma delegacia, assinou um Termo Circunstanciado e se comprometeu a participar de atos judiciais quando requisitado e a não aglomerar mais.

Ele não será indiciado, mas o caso agora vai pro Ministério Público, que decide se abre um processo ou não. O artigo 268 do código penal – Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa – prevê detenção de um mês a um ano, além de multa.

De acordo com os policiais, Gabriel foi flagrado escondido debaixo de uma mesa. A pessoas próximas, o atacante contou que a orientação dos agentes foi de que todos ficassem no chão.
Assista a baixo a entrevista do atacante do Flamengo: