Jornalista pede na justiça suspensão da partida entre Grêmio e Del Valle

O jornalista paraguaio Marcos Velázquez ingressou na manhã desta quinta-feira (8) com um pedido junto à Justiça local para suspender o jogo entre Independiente del Valle e Grêmio, no Defensores del Chaco, em Assunção, nesta sexta, pela terceira fase preliminar da Libertadores. Ele defende que os casos de jogadores infectados por coronavírus no clube gaúcho podem elevar o risco de contaminação pela covid-19 no país.

“Por iniciativa própria, pedi aos tribunais que proíbam a partida pela Libertadores anunciada pela Conmebol para amanhã (sexta, 9), diante do silêncio criminoso de nossas autoridades, que permitem os jogadores brasileiros com covid-19 ou potencialmente infectados que ingressem sem cumprir os protocolos sanitários exigidos para as outras pessoas”, escreveu Velázquez em uma rede social.

Por meio de um pedido de medida cautelar de urgência, o jornalista argumentou que a permissão para que a delegação do Grêmio entre no país e não cumpra o período de sete dias de quarentena “viola a Constituição Nacional”. No entendimento de Velázquez, a autorização do governo paraguaio fere o “direito à vida” e o “direito à saúde” das pessoas, porque expõe a população ao risco de contaminação por covid-19.

— Para o governo, não bastam as quase 5 mil famílias de luto pela covid-19. Trazer pessoas infectadas ou potencialmente contaminadas provenientes do Brasil, onde se constatou uma nova cepa da covid-19, ainda mais letal do que a que conhecemos, coloca em risco os funcionários dos aeroportos, motorista do ônibus, empregados do hotel e pessoas que trabalham nos estádios. É uma exposição desnecessária, uma vez que o futebol não traz outro benefício para o país além do interesse econômico que a Conmebol tem com seus patrocinadores — afirmou Velázquez ao portal Express News.

De acordo com documento publicado pelo jornalista, a juíza Elsa Idoyaga notificou a Conmebol e o presidente Alejandro Domínguez para que informem a lista de pessoas que entraram no país para a realização da partida, com os resultados dos testes de covid-19. Isso porque a entidade que comanda o futebol na América do Sul recebeu a autorização das autoridades paraguaias para a realização dos jogos no país.

Conmebol ressaltou que tem permissão para cumprir o calendário de jogos no Paraguai. Quanto à intimação da justiça paraguaia, a entidade garante que ainda não foi notificada.